Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

As birras da mãe

Venturas e desventuras de uma tripeira que rumou a sul. As histórias da filha, da mulher e da mãe.

Chegou o dia mais temido - O DIA I

dia I.JPG

O cabrão do tempo não voou - evaporou-se - e amanhã já é o dia I!

Chegou o dia de chorar baba e ranho por ter de deixar o Matiquinho (como diz a Madalena) na porra do Infectário. Pronto, já disse!

Acabaram-se as licenças, as férias e todas as ajudas dos avós que possibilitaram que o Mateus estivesse em casa até agora, mas já não há volta a dar, não dá para adiar mais a ida para o berçário (porque as contas têm de se pagar) e isso parte-me o coração e esfrangalha-me os nervos.

"Ahhh mas esta gaja está práqui a queixar-se e o garoto vai para a escola já com mais de 6 meses! Muitos há que vão logo aos 4 ou até antes!" - Verdade, mas parte-me o coração na mesma, que é que querem que eu vos faça?

Parte-me o coração saber que vai passar os primeiros tempos sempre doente, daí a carinhosa denominação de Infectário (aliás aqui o querubim é tão sensível que só de sonhar de se estar a aproximar a data ficou logo doente para abreviar caminho :P). Parte-me o coração saber que vai estar sempre carente de colo (por mais atenciosos os cuidadores no berçário o rácio de colos por metro quadrado desce abruptamente e não há cá pão pra malucos) e de mimos... É que ainda por cima amanhã vai levar com a xaropada assim sem dó nem piedade, porque como esteve doente esta semana não deu para fazer aquela habituação faseada ao espaço e às caras que tinha combinado com a educadora: ir uma horinha num dia, duas no seguinte e assim sucessivamente. Não, amanhã leva com tudo de chofre e seja o Deus quiser! Tem de aguentar pelo menos até eu sair a voar do trabalho para o ir "resgatar" daquele "inferno" de choros, birras do sono, cheiros nauseabundos a cocó e trocas de mucos e babas... Estou tão mal da minha cabecinha que só fico a imaginar as bactériaszinhas e os viruzinhos do demo a propagarem-se pelo ar, pelos brinquedos que, nesta fase estão sempre a ser levados à boca, e pelas mãozinhas sapudas... BAHHHH!!!! Pró que me havia de dar agora!

O berçário para onde vai é óptimo, tem todas as condições, poucas crianças e ainda por cima já o conheço bem porque fica na mesma escola da Nena, mas neste momento acho que até poderiam ser os aposentos dos principezinhos ingleses que a mim era-me igual, se é que me entendem :|

Estou a enervar-vos um bocadinho com esta conversa, não estou? Até a mim me estou a enervar, porque no fundo não estava nada à espera de no segundo filho ainda me custar tanto este processo todo... Talvez seja precisamente por já ter passado por isto que me esteja a custar tanto agora... Eu sei lá, só sei que estou com uma birra do tamanho das casas e nem aquelas certezas de que "agora é mais fácil a habituação deles do que aos 2 ou 3 anos" ou "um bebé tão simpático e dado como o Mateus vai adaptar-se bem de certeza" me estão a sossegar o espírito.

O mais certo é o Mateus nem olhar para trás e ficar todo contente, mas o meu coração vai estar do tamanho da cabeça de um alfinete quando lá o deixar, ah se vai.

E por aí? Como foi o dia I? Alguma dica ou truque para superar esta angústia tonta de coração de mãe?

2 comentários

  • Imagem de perfil

    Inês Barros Cabral 18.06.2018 11:27

    Pois, custa-nos mais a nós :P nestas idades.
    Em duas semanas, com 6 meses, nunca ficou a chorar mas... já está de molho com uma virose :/
  • Comentar:

    CorretorEmoji

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.